Prevenção do câncer de mama

Sexta-Feira, 09 de Julho de 2010, 01h:06 | Atualizado:

Introdução O câncer da mama é um dos tipos que mais mata a mulher em nosso país. São estimados a cada ano, cerca de 50 mil casos novos, de acordo com o Ministério da Saúde. Os índices de mortalidade no Brasil são elevados, porque, lamentavelmente, o diagnóstico ainda é feito tardiamente, quando as chances de cura são bem menores. O câncer de mama pode ocorrer também em homens, em cerca de 1% dos casos. Prevenção primária Com relação à prevenção primária, algumas medidas gerais são importantes e podem contribuir para o não aparecimento do câncer de mama, como a redução da obesidade, os exercícios físicos, a não ingestão de alimentos gordurosos, não fumar e evitar bebidas alcoólicas em excesso.

Prevenção secundária A prevenção secundária consiste na detecção precoce do câncer, quando as chances de cura são muito elevadas. As medidas englobadas por esta prevenção, compreendem o auto-exame das mamas, a mamografia e a ida anual ao médico. Destes, o mais importante é a mamografia, pois permite a detecção de pequenas lesões malignas, alem de lesões pré-malignas. O auto-exame das mamas, apesar de permitir apenas a detecção de tumores – geralmente – com mais de 1 cm, também é importante, pois mantém a pessoa alerta para a importância da detecção precoce e mantém a lembrança da ida anual ao médico. Ele deve ser realizado mensalmente, pelas mulheres acima dos 20 anos de idade, após a menstruação ou, nas mulheres que não menstruam, em um determinado dia do mês, escolhido pela pessoa. Técnica de auto-exame das mamas Inicialmente, em pé, em frente ao espelho, observe o bico dos seios e a aréola, se apresentam alguma retração, se há alguma alteração na coloração da pele, da superfície ou do contorno da mama. Ainda em frente ao espelho, levante os braços e observe se aparece, com o movimento, alguma retração na pele da mama ou do mamilo.

A seguir, deitada, ponha um travesseiro sob seu ombro direito. Coloque seu braço direito atrás da cabeça e com a mão esquerda, apalpe a mama direita. Faça movimentos circulares suaves, apertando levemente com as pontas dos 3 dedos médios, toda a mama, para sentir se existem nódulos ou endurecimentos. Repita os movimentos com a mão direita, apalpando a mama esquerda. A superfície das mamas não é totalmente lisa; são um pouco irregulares, devido aos lobos mamários. A primeira vez que a mulher realiza seu auto-exame, pode ficar preocupada, achando que tem nódulos nas mamas; nessa primeira vez, em caso de dúvida, é importante a ida ao médico e ele irá dizer se as irregularidades são características de sua mama. A partir daí, ela passa a reconhecer essas irregularidades como normais. Existem algumas mulheres que efetivamente dizem que não conseguem fazer o auto-exame, mas estas são minoria. Durante o banho, uma vez por mês, este exame também pode ser feito; as mãos ensaboadas deslizam na pele molhada, facilitando o reconhecimento de alguma alteração. Se um nódulo ou outro sinal for encontrado, a mulher deve procurar imediatamente o seu médico.

O valor da mamografia A mamografia pode detectar pequenas alterações que não são percebidas pela mulher ou pelo médico. Essas pequenas alterações são denominadas microcalcificações pleomórficas, que podem indicar alterações benignas, alterações pré-malignas ou alterações malignas, em sua fase inicial. Essas alterações precisam ser retiradas cirurgicamente, funcionando a cirurgia como tratamento preventivo - no caso das lesões pré-malignas - ou curativo, chegando a 100% de cura no caso do carcinoma “in situ” e cerca de 95% de cura no caso do carcinoma micro-invasivo.Esta é a grande importância da rotina de prevenção e detecção precoce do câncer de mama.

A padronização para a realização da mamografia é de ser feita uma primeira aos 35 anos de idade e após os 40 anos, anualmente. Entretanto, devido ao aumento da incidência do câncer de mama em todo o mundo, e também ao aumento da incidência em mulheres jovens, encontra-se em estudo a indicação de sua realização anual após os 35 anos. Também o médico, em caso de dúvida pode pedir a mamografia para pacientes com menos de 35 anos, apesar de que em mulheres mais jovens, a maior densidade da glândula mamária dificulta o seu exame. Outros exames A ultrassonografia mamária é um exame também importante no contexto da prevenção e da detecção precoce do câncer de mama. É um exame complementar à mamografia, principalmente nas mamas mais densas. A ressonância magnética nuclear também é outro exame de importância, e pode complementar a mamografia e o ultrassom no diagnóstico das lesões suspeitas do câncer de mama.

ENVIE ESTA MATÉRIA

Comentários

Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTE ESTA MATÉRIA