Uma Redescoberta Pessoal

Quinta-Feira, 24 de Outubro de 2013, 08h:33 | Atualizado:

Atualmente, o câncer de mama vem se tornando uma doença com maior incidência entre as mulheres, sem uma causa ainda perfeitamente conhecida, mas com grandes possibilidades de cura quando diagnosticado precocemente. Nas últimas décadas obtivemos um grande avanço no tratamento médico da doença, que segue com inúmeras pesquisas abordando novas drogas e procedimentos terapêuticos.

A ciência busca compreender o porquê da origem do câncer em causas físicas, genéticas ou moleculares. Temos um grande caminho a percorrer, mas, neste percurso, devemos prestar mais atenção aos nossos sentimentos, aos conflitos emocionais que possam existir e colaborar para um desequilíbrio da saúde.Diante do diagnóstico do câncer de mama, a medicina tem hoje vários recursos que tratam a doença física, mas não podemos deixar de abordar questões de ordem emocional, como a forma de lidar com o tratamento, o grau de confiança no mesmo, a repercussão no ambiente familiar e principalmente na vida conjugal.

O câncer de mama apresenta ainda um estigma de mutilação, devido ao grande número de mulheres submetidas à retirada completa da mama, a Mastectomia. Mesmo com as técnicas cirúrgicas de preservação da mama ou de reconstrução, o apoio psicológico é importante para restauração do equilíbrio emocional. As repercussões na auto-estima e na imagem corporal podem trazer graves conseqüências à sexualidade, afetando negativamente a relação conjugal.

Muitos que vivenciam o diagnóstico do câncer encontram uma oportunidade de reflexão sobre vários aspectos da vida, sendo o relacionamento um deles. Quando o relacionamento tem bases sólidas, o casal se ajuda mutuamente, tornando este período uma oportunidade de se fortalecer os vínculos afetivos. Porém, quando a relacão já apresenta sinais de ruptura, torna-se muito difícil a sua sustentação. Apesar do impacto do diagnóstico, muitas mulheres iniciam uma nova fase na vida, com a redescoberta de si mesmas, valorizando a busca da felicidade, trabalhando seus sentimentos de forma positiva e, resolvendo pendências emocionais que provavelmente se iniciaram muito antes do diagnóstico da doença. As mulheres que encontram este caminho renascem para uma nova vida, me smo com as incertezas e receios diante do tratamento que persistem por certo tempo.

Os recursos médicos fizeram do câncer de mama uma doença curável, principalmente quando diagnosticado em fase inicial. Toda mulher acima de 40 anos de idade deve realizar a mamografia uma vez ao ano. Mulheres mais jovens devem seguir a orientação de seu médico quando houver necessidade de realizar algum exame.

ENVIE ESTA MATÉRIA

Comentários

Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTE ESTA MATÉRIA