“Conduzi o tratamento do câncer de mama com leveza e bom humor”

Quinta-Feira, 31 de Julho de 2014, 16h:04 | Atualizado:

Marina Danielides

Descobri a doença num exame de rotina, por isso, digo que fui abençoada por ter descoberto no inicio. Fiz a mamografia e o resultado confirmou coma ultrassom e biópsia. O primeiro impacto é muito grande,não pensei em mim, só pensava nos meus filhos e confesso que em momento algum eu me perguntei por que eu... NUNCA!

Mas o chão some, não sei se o fato de ser sozinha com as criançasme fez reagir,mas, depois deum choro incontrolável, respirei fundo e fui à luta. Eu consegui conduzir tudocom leveza e bom humor, precisava ser forte; forte por e para eles ( meus filhos).

O tratamento não me assustou, queria começar tudo muito rápido pra terminar o mais depressa possível. Sabia que iria ficar careca; sabia das consequencias da cirurgia, quimioterapia e radioterapia, mas levei numa boa. Fiz campanha no face pra arrecadação de lenços pra nova careca, reuni as crianças do prédio e meus filhos pra sessão "carequex" ( meus filhos rasparam meu cabelo), me vesti de zorro dentro da Oncomed pra atacar a quimioterapia.( El Zorro enfrenta El matador!!) e assim foi. Não parei de trabalhar e isso também foi parte importante no tratamento.

No meu aniversário, quando estava em tratamento, meus amigos do facebook fizeram uma homenagem: todos colocaram lenços na cabeça no Marina´s Day. Foi emocionante!

Todos os momentos são muito complicados: primeiro o diagnóstico, depois o tratamento, não sabemos o que virá, pois, tudo é muito desconhecido. Mas acho que os momentos difíceis foramtransformados em algo positivo graças ao carinho que recebi. O jeito meio descontraído e aparentemente leve de encarar a doença foi bom pra todos, pra família, para os amigos e, principalmente, pra mim. Sabe aquele ditado: ganhe um limão e transforme numa limonada? Bem isso; todos me ajudaram a transformar o limão numa bela e deliciosa limonada!

Com certeza a experiência com o câncer de mama muda seus valores por completo, passamos a olhar o mundo de outra forma, a dar mais valor a pequenas coisas que antes passavam despercebidas e o melhor disso tudo é perceber que seus amigos e familiares te amam e que o amor é à base de tudo. Com amor enfrentamos qualquer coisa.

Campanhas como a do Outubro Rosa são extremamente importantes, neste caso. A conscientização é a base para a prevenção. É uma iniciativa que pode salvar vidas. Como alguém que sobreviveu ao câncer posso afirmar que ações como essa fazem a diferença e chamam a atenção para uma doença que pode acometer muitas mulheres. A descoberta do câncer de mama no inicio tem uma chance de cura altíssima e, por isso, é muito importante irmos ao médico e fazermos todos os exames, anualmente.

*Marina Danielides é coord. de Marketing da Regional Plange/Cuiabá

ENVIE ESTA MATÉRIA

Comentários

Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTE ESTA MATÉRIA