Cuiabá, 20 de Junho de 2019

logo

Domingo, 31 de Março de 2019, 17h:27 - A | A

MARCHA ROSA 2019

MTMamma entrega reivindicações às autoridades em MT

Suzi Bonfim - Assessoria Voluntária
mtmammaamigosdopeito@hotmail.com

image

A presidente da MT MTmamma, Cleuza Dias e a vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, que representa a Associação de Apoio a Pessoas em Tratamento e Pós-Tratamento do Câncer de Mama de Mato Grosso, Adriana Catelli, entregaram durante audiência pública realizada, em 11 de março, deste ano, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso as reivindicações da VI Marcha Rosa, a mobilização em defesa dos direitos dos pacientes com câncer promovida pela entidade, em 09 de março. 

O documento contém as principais demandas que a MTmamma considera fundamentais para melhoria do tratamento dos pacientes com câncer não só de mama, mas de todas as neoplasias que enfretam basicamente as mesmas dificuldades. O assunto foi discutido na roda de conversa realizada logo em seguida à Marcha, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL). Problemas como o cancelamento de benefícios pagos pelo INSS aos pacientes, fechamento da Santa Casa e a exigência de um tratamento com sem humilhações, com mais dignidade, mais qualidade e mais humanizado foram a tônica dos representantes de todas as entidades que participaram do evento em apoio á causa. São eles:  Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso - CEDM/MT; Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana - CDDPH; Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial - CEPIR; Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas; Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso - SINTEP/MT; Fórum de Mulheres Negras de Mato Grosso; Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Mulher de Cuiabá.

Veja na íntegra o teor do documento entrega à Assembleia Legislativa de Mato Grosso

O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente entre as mulheres.  A doença é a principal causa de morte na população feminina mundial sendo que, no Brasil, estima-se o surgimento de 59.700 novos casos em 2019 (Dados do Instituto Nacional do Câncer, INCA).  Em Mato Grosso, está previsto 680 novos diagnósticos, sendo 220 em Cuiabá para cada ano do biênio 2018-2019.  De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), o câncer de mama ainda representa 27,5% do total de casos de câncer em mulheres e é o mais incidente entre elas – seguido do câncer de colo de útero e cólon e reto. Os homens também podem ter a doença. Contudo, o índice representa apenas 1% do total.  As taxas de mortalidade por esse tipo de câncer continuam elevadas, especialmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados. Por isso, o autoexame das mamas e a mamografia são essenciais. Isto, considerando que a doença quando descoberta no estágio inicial pode ter até 95% de chance de cura. 

 A MTmamma amigos do peito, entidade que completou 10 anos em 03 de março de 2019, dá apoio a pacientes em tratamento e pós tratamento de câncer de mama, convivendo diariamente com seus problemas e dificuldades para realizar o tratamento.  São inúmeros os desafios que as pacientes enfrentam para fazer o tratamento, especialmente, quando se trata dos serviços de saúde pública.  Diante disso, a MTmamma vem realizando há 6 anos a Marcha Rosa para chamar a atenção da sociedade e das autoridades para a necessidade de melhorias no atendimento de saúde pública para pacientes oncológicos. No sábado (09.03) ocorreu a VI Marcha Rosa e uma Roda de Conversa com a presença de várias entidades ligadas à defesa dos direitos das mulheres e direitos humanos para discutir o assunto.  

As reivindicações da VI Marchar Rosa são as seguintes: 

- Agilizar o agendamento de consultas, exames e procedimentos cirúrgicos para pacientes com câncer, conforme determina a Lei 12.732/12 conhecida como Lei dos 60 dias;  

-  Fazer cumprir a Lei nº 12.802/2013, que garante às mulheres mastectomizadas o direito de ter suas mamas reconstruídas no mesmo ato             cirúrgico da retirada por câncer (mastectomia);  

- Fazer cumprir a Lei nº 13.770, que garante cirurgia plástica reconstrutiva da mama em casos de mutilação decorrente de tratamento de câncer;  

- Capacitar os profissionais na Central de Regulação do Sistema Único de Saúde, SUS, para oferecerem tratamento prioritário aos pacientes em t     tratamento de câncer;  

- Aumentar o número de médicos e pessoal capacitado nas redes pública e conveniada;   

- Promover o acesso ao tratamento, exames especializados e procedimentos cirúrgicos a todas as mulheres em tratamento de câncer, fazendo        prevalecer o princípio da universalidade que rege o SUS;   

- Garantir rapidez na liberação dos resultados de exames e procedimentos de pacientes em tratamento de câncer;   

- Promover o acesso das pacientes com câncer aos remédios de alto custo necessários ao tratamento;   

- Implementar na rede do SUS as terapias integrativas para o tratamento do câncer, garantindo o acesso a todas os pacientes   

- Ampliar o número de instituições públicas e conveniadas envolvidas no tratamento no câncer em MT 

- Ampliar o número de mamógrafos no estado, garantindo a qualidade do funcionamento dos equipamentos;  

- Ampliar o número de máquinas de radioterapia no estado, garantindo a qualidade do funcionamento dos equipamentos;   

 

 

image
image
image
image
image
image
image
image

Rua Amâncio Pedroso de Jesus Neto, n°11
Quadra 13 - Jd. Petropolis - Cuiabá/MT

(65) 3052-8758 / (65) 9694-5272
(65) 8143-5252 / (65) 9265-4169

logo